Características do currículo


Fundamentos e objectivos dos programas de mestrados profissionalizantes

As universidades atravessam o melhor momento em termos de oportunidades postas à sua disposição pela problemática das novas tecnologias, cultura e cidadania.

O papel das universidades em gerar aprendizagem e o papel da aprendizagem em gerar conhecimento e, por conseguinte, inovação, coloca-as na mesma linha de competição – no quadro da Responsabilidade Social Corporativa- que as empresas que detêm o maior domínio nas tecnologias de informação.

As tecnologias de informação constituem uma plataforma privilegiada de mão dupla (de quem recebe e de quem transmite) para tornar acessível o conhecimento e, de forma plena, interagir num processo de disseminação, independentemente do grau académico, idade, sexo, raça ou local.

Características gerais do currículo

Formulação de um currículo baseado em competências

Tem sido prática nos modelos de mestrados profissionalizantes reunir, através de um contrato didáctico, os elementos para a avaliação dos alunos e determinação dos créditos a atribuir às unidades curriculares (presença na sala de aulas, estudo individual, participação em palestras, participação em actividades profissionais e elaboração de relatórios padronizados).

Esta grelha de avaliação, que por imperativo foi adoptada quando se optou pelo modelo de créditos, obriga as IES a estabelecerem parcerias com o mercado, não só para darem oportunidades aos discentes para estagiarem, mas também, e sobretudo, para os docentes poderem assimilar o conhecimento (saber fazer/competências) como boas práticas da Pedagogia.

Identificação das necessidades

Do resultados das pesquisas efectuadas emerge a necessidade de criação deste tipo de escola.

 Desenvolvimento de competências genéricas

A ESGCS ao organizar o Curso de Mestrados Profissionalizantes, optou por alcançar as seguintes competências:

Competência reflectiva – capacidade de auto-conhecimento, entendida como a capacidade imediata da relação entre sujeito e objecto no acto de conhecimento.

Competência de investigação – capacidade de utilizar os meios de que dispomos, contribuindo para que as inovações de um comportamento socialmente responsável ocorram nas organizações que defendem que: Responsabilidade Social Corporativa é um modelo de gestão, de solidário universalismo, direccionado a práticas de governança corporativa, associando o lucro ao desenvolvimento sustentável”.

Competência para a comunicação – Web 2

É a capacidade de desenvolver competências, quer individuais quer de grupo, alinhadas com o objecto principal do negócio e que podem ser armazenadas e partilhadas, através de um agente (pessoas, bibliotecas, suportes de informação), com a finalidade de introduzir conhecimento na cadeia de valor, para gerar vantagem competitiva e inovação, no quadro do Desenvolvimento Sustentável.

Competência de liderança

O papel das universidades em gerar aprendizagem e o papel da aprendizagem em gerar conhecimento e, por conseguinte, inovação, coloca-as na mesma linha de competição – no quadro da Responsabilidade Social Corporativa – mantendo sempre como prioridade os desafios da educação na perspectiva do desenvolvimento sustentável.

Ética

A capacidade de pautar a sua conduta pessoal e profissional pelo interesse e defesa de valores e causas da dignidade da pessoa humana in Semanário Económico Português, nº 962, 17/23.6.2005, Dinheiro & Management, p.15 de, e In Pessoal, APG, nº 43, Mar.06, p.82-83.

As competências referidas distribuem-se pelas disciplinas na forma apresentada nos planos dos cursos.

1 (4)